Em tempos onde a tecnologia se renova cada vez mais rápido, decidir onde e quando investir em inovação se torna, sempre, uma tarefa difícil. Selecionar quais ferramentas inovadoras se tornarão uma tendência, ou poderão ser aplicadas com sucesso no âmbito corporativo e gerarão valor agregado, pressupõe o contato com outras organizações, fabricantes, prestadores de serviços, usuários etc. Neste sentido, é importante participar de congressos e outros eventos para reciclar conhecimento além de ter contato com palestrantes que são referência no ramo.
QAT Global participou, no 1º semestre de 2015, da QCon-SP 2015. Nosso colaborador Marcos Nasário esteve lá durante os 5 dias do evento.
A QCon-SP 2015 foi divida em duas etapas: 2 dias de tutoriais e 3 dias de palestras, com diversos assuntos como, por exemplo, arquitetura de sistemas, novidades do Java 8, universo Javascript, Big Data, linguagens funcionais e virtualização utilizando Docker (ferramenta para criação de máquina virtual). Os tutoriais tinham duração de 3 horas e o foco era detalhar cada assunto. As palestras tinham duração de 50 minutos e procuravam explicar de maneira mais sucinta a tendência de cada tecnologia.
Um dos tópicos mais citados no congresso foi a ascensão da arquitetura em Microserviços, que vem mudando a forma de desenhar software. Este modelo consiste em dividir o sistema em pequenas partes, cada uma das quais possui suas próprias regras e definições. Isto permite modularizar e, consequentemente, reutilizar e evoluir partes independentes de um todo.
Outro tema muito comentado foi a nova forma de se virtualizar máquinas através do conceito de “Containers”, providos pelo Docker. Com esta API  tornou-se simples a criação de serviços e abriu a porta para diversas possibilidades como clusterização, segurança, segregação de banco de dados, entre outras.
Segundo Marcos Nasário, “Ter o contato com profissionais renomados foi de suma importância e com certeza agregou conhecimento e valores para minha carreira e para a QAT Global.”